Agronegócios

As cidades paulistas despertam para mais um dia. Enquanto isso, no campo, o trabalho começou logo ao raiar do sol. Além de possuir um perfil altamente urbanizado, São Paulo também é um lugar de forte produção rural. Pertence ao estado o título de principal produtor e exportador agrícola do Brasil. O sucesso dos agronegócios paulistas vem de longa data. A cadeia produtiva do estado alia tradição com pesquisa e tecnologia avançadas.

O Estado de São Paulo dispõe de um moderno sistema agroindustrial, sendo o maior do Brasil e um dos mais expressivos do mundo. Possui um território de 24,8 milhões de hectares de clima tropical, solo fértil e água abundante, no qual 8,6 milhões (34%,7) são utilizados pela agricultura e 6,9 milhões (27,8%) por pastos.

A produção do agronegócio paulista gerou um PIB estimado de R$276 bilhões no ano de 2016, alcançando uma participação de 15% na economia do estado. O setor é também um dos que mais gera empregos, sendo responsável por 15% dos vínculos formais de trabalho.

O agronegócio é um ramo de atividade muito amplo e engloba os seguintes segmentos: insumos, primário, industrial e serviços.

Segmento de insumos

combustíveis, fertilizantes, defensivos, alimentos para animais, sal mineral e medicamentos veterinários, máquinas e equipamentos agrícolas

Segmento primário

agricultura e pecuária

Segmento industrial

café, produtos amiláceos, açúcar, etanol, fabricação de papéis, suco de laranja, bebidas, têxtil, vestuário, produtos de madeira, móveis de madeira e celulose

Segmento de serviços

serviços de comercialização e distribuição dos produtos agropecuários e agroindustriais

A complexidade aliada à sofisticação da estrutura produtiva coloca o campo paulista como um dos mais desenvolvidos no planeta. E para continuar na vanguarda mundial do setor, há um grande investimento em pesquisa científica para o desenvolvimento de inovações agrícolas. As pessoas muitas vezes não sabem, mas estão consumindo muita tecnologia paulista nos alimentos que ingerem.

Na área pública, a Agência Paulista de Tecnologia de Agronegócios (APTA) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, tem a missão de coordenar e gerenciar as atividades de ciência e tecnologia voltadas para o agronegócio. Sua estrutura compreende o Instituto Agronômico (IAC), Instituto Biológico (IB), Instituto de Economia Agrícola (IEA), Instituto de Pesca (IP), Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL) e Instituto de Zootecnia (IZ), além dos 14 Polos Regionais distribuídos estrategicamente no estado e do Departamento de Gestão Estratégica (DGE).

As universidades públicas paulistas têm um papel de destaque nas pesquisas científicas voltadas para o agronegócio. A Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (ESALQ) da USP, na cidade de Piracicaba, é uma das estrelas dessa rede de pesquisa. Ela está posicionada entre as 5 melhores faculdades de ciências agrárias do mundo de acordo com o ranking produzido pela editora U.S. News and World Report.

O capital humano altamente qualificado faz com que o estado concentre 50% das Agritechs - startups ligadas ao agronegócio - brasileiras.  A tecnologia desenvolvida no estado permite que a produção rural de São Paulo tenha um alto desempenho em diversas culturas agrícolas.

Os produtos rurais garantem a alimentação da população e também fornecem a matéria prima para o segmento industrial que domina alguns mercados globais. Além da produção de cana-de-açúcar e laranja, carros chefes das fazendas, há outras culturas que geram riqueza no interior do estado.

Valor da produção agrícola e participação na produção nacional (em R$ mil)

 São PauloBrasilParticipação
Produção agrícola total 52.115.723 317.455.502 16%
Cana-de-açúcar 27.610.365 51.600.903 54%
Laranja 6.096.556 8.380.099 73%
Soja (em grão) 3.164.600 104.898.732 3%
Milho (em grão) 2.754.431 37.668.722 7%
Café (em grão) Arábica 2.007.840 18.555.920 11%
Tomate 1.568.438 5.475.452 29%
Banana (cacho) 1.420.546 8.313.352 17%
Feijão (em grão) 1.225.050 9.740.089 13%
Batata-inglesa 1.031.451 5.880.194 18%
Limão 866.797 1.287.619 67%
Amendoim (em casca) 833.714 911.348 91%
Mandioca 464.420 10.320.963 4%
Uva 459.188 2.127.602 22%
Borracha (látex coagulado) 383.314 672.730 57%
Tangerina 382.032 959.610 40%
Trigo (em grão) 233.727 4.032.961 6%
Caqui 170.108 284.634 60%
Fonte: PAM IBGE (2016)      

A atividade pecuária tem uma participação significativa em SP. A produção do agronegócio relativa ao segmento somou R$48 bilhões em 2016. As áreas de criação de bovinos paulistas produziram R$ 7,8 bilhões em gado, isso é, 11% do produzido no Brasil. Já o setor de ovos, por exemplo, participou com 30% da produção brasileira, em termos monetários isso significou uma produção de R$4 bilhões.

Valor da produção pecuária e participação na produção nacional (em R$ mil)

 São PauloBrasilParticipação 
Produtos de origem animal 21.972.794 185.393.171 12%  
Bovinos 7.815.230 74.079.642 11%  
Frango 6.364.132 55.860.046 11%  
Ovos 4.025.628 13.604.368 30%  
Leite 3.069.666 27.616.393 11%  
Suínos 698.137 14.232.723 5%  

É no ramo industrial que o agronegócio paulista mostra toda sua força. Ele responde por 41% do PIB do setor, com um faturamento de R$112 bilhões. As usinas de São Paulo processam a cana-de-açúcar para transformá-la em etanol e açúcar. Responsável por 48% da produção brasileira, o estado é o maior produtor mundial de etanol de cana-de-açúcar. O complexo sucroalcooleiro foi responsável por 43% do total das exportações paulistas de 2016, com um total de US$ 7,8 bilhões exportados.

Maior produtor mundial de suco de laranja, o interior paulista responde por 58% do suco produzido industrialmente no planeta. De cada 10 copos de suco de laranja consumidos no mundo, cerca de 6 são de origem paulista.

São Paulo é um grande processador de carne bovina. Em 2016, os produtores de carne do estado exportaram mais de 370 mil/ton, o que gerou R$ 1,6 bilhão de receita e representou 29,8% do total exportado pelo Brasil.

Para conseguir atingir esse nível de produção são necessárias máquinas e implementos agrícolas. Deste modo, o segmento de insumos do agronegócio paulista também mostra números que impressionam. A participação do parque fabril paulista de máquinas e equipamentos agrícolas em relação ao Brasil representa:

Terra, trabalho, tradição e tecnologia são componentes do sucesso dos campos paulistas. Mostramos apenas alguns destaques desse que é um dos setores mais importantes da economia. Para obter mais informações sobre o agronegócio no Estado de São Paulo sugerimos que você acesse as fontes de dados utilizadas no texto:

CEPEA ESALQ/USP - https://www.cepea.esalq.usp.br/br/pib-do-agronegocio-de-sao-paulo.aspx

Instituto de Economia Agrícola do Estado de São Paulo - http://www.iea.agricultura.sp.gov.br/

Pesquisas do IBGE - https://sidra.ibge.gov.br/

Ministério da Agricultura - http://indicadores.agricultura.gov.br/agrostat/index.htm

Secretaria de Agricultura - http://www.agricultura.sp.gov.br/

Agência Paulista de Tecnologia e Agronegócios - http://www.apta.sp.gov.br/

Departamento de Agricultura do Estados Unidos (USDA) - https://www.usda.gov/

 

Por que investir no Agronegócio paulista?

Veja também

Fale Conosco

Nós convidamos você a descobrir por que o Estado de São Paulo é a escolha certa para seu negócio. A Investe São Paulo está sempre pronta para atendê-lo de forma rápida, eficaz e gratuita. Saiba como a Agência Paulista de Promoção de Investimentos pode assessorar seu projeto em Nossos Serviços ou entre em contato pelo Fale Conosco.